Estrada de Ferro

A Estrada de Ferro Campos do Jordão (EFCJ) surgiu com interesse comercial e incentivo do sanitarista Emílio Ribas, que no ano de 1912 deu início às obras desse empreendimento que ligava a então Vila de Campos do Jordão a Pindamonhangaba, por um trajeto férreo de 47 km.


Além de transportar pacientes com tuberculose aos sanatórios, existentes na cidade, especializado no tratamento dessa doença, foi responsável pelo transporte de horti-fruti produzido no Vale do Renópolis e de materiais de construção de casas, hospitais e hospedaria das cidades cortadas pelos trilhos da ferrovia.

O maquinário que no início era o vapor deu lugar aos bondes elétricos, com sistema da “The English Eletric Co.”, porém 1924 devido a problemas financeiros a Estrada de Ferro acabou encampada pelo Governo do Estado de São Paulo.

A ferrovia que até a década de 70 era uma das formas de chegar a Campos do Jordão, começou a ceder espaço para as rodovias, porém ganharia uma nova e charmosa função: atração turística, que anualmente leva milhares de pessoas a 4 passeios distintos:

1- Turístico: (Estação Emílio Ribas – Estação São Cristovão) - 8 km
2- Maria Fumaça: (Estação Emílio Ribas - Abernéssia) - 4km
3- Campos do Jordão – Santo Antônio do Pinhal: (Estação Emílio Ribas – Estação Eugênio Lèfreve) - 19 km
4- Pindamonhangaba – Campos do Jordão: (Estação Central – Estação Emílio Ribas) – 47km) - TEMPORARIAMENTE SUSPENSO 

Durante o trajeto, os visitantes podem conferir a paisagem de Campos do Jordão e região de uma forma bucólica, como se voltasse ao tempo, admirando e conhecendo alguns pontos:

Reino das Águas Claras: o Parque criado em 1972, localizado no km 17 da ferrovia, traz obras em cerâmicas do artista Alarico Côrrea Leite que configuram as personagens infantis de Monteiro Lobato, nascido em Taubaté. O Parque conta com bar, restaurante, churrasqueiras e um total de 21 mil metros quadrado de área verde.

Estação Ferroviária Eugênio Lèfreve: no km 28 da ferrovia está localizada a Estação de Santo Antonio do Pinhal, onde fica o mirante para visualizar as belezas naturais do Vale do Paraíba, próximo a imagem de Nossa Senhora Auxiliadora, com 3 metros de altura por 1 metro de largura.

Ponto Culminante Ferroviário: Na Parada Cacique, a 1.743 metros de altitude os visitantes estão no cume do percurso, num traçado sinuoso com forma de caracol e rampa, vencido por simples aderência. Neste ponto, considerado o mais alto da ferrovia no Brasil, se pode avistar o Palácio Boa Vista e a Pedra do Baú, pertencente a São Bento do Sapucaí.

Parque do Capivari: localizado na entrada do centro turístico de Vila Capivari, próximo a Estação Emílio Ribas, o Parque abriga o primeiro teleférico construído no Brasil, 1970 que levam os visitante ao cume do Morro do Elefante. E que em 1996, foi modernizado com circuito inteiro de televisão, comunicação sonora, placas de sinalização e barreira de infravermelho para embarque e desembarque.

Horários e ingressos:

Turístico: com saídas de hora em hora, à partir das 10h00 da manhã, com exceção do horário de 12h00.

Maria Fumaça:  Nos feriados

Campos - Sto Antônio do Pinhal: 10h00, 10h30, 13h30 e 14h25, saída do Capivari (os horários funcionam de acordo com o movimento), duração 2h30 min, ida e volta. Reservas no telefone (12) 3663-1531.

Pindamonhangaba - Campos do Jordão: 7h50 e 9h00 (de acordo com a procura), retorno 16h00 e 16h30, chegada em Pindamonhangaba 19h00. Reservas no telefone (12) 3644-7408. Temos estacionamento gratuito para os clientes do trem.

MAIS INFORMAÇÕES

Estrada de Ferro de Campos do Jordão
(12) 3663-1531/ (12) 3644-7408

Compartilhe e Curta

  • Facebook
  • Twitter
  • Add to favorites
  • Email